Vírus - Pompa - Crônicas Debochadas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Vírus

CONTOS

-Alô?

-Eu desejo falar com o Pompa.

-Pompa ao seu dispor.

-Aqui é o Kafka, seu Pompa. Tudo bom?

-Kafka? Igual ao escritor daquela história da barata?

-Isso mesmo, Pompa. Meus pais me batizaram em homenagem a esse grande escritor.

-E o que você quer comigo, Kafka?

-É que o senhor foi visto saindo do banheiro sem lavar as mãos e será processado, Pompa.

-Processado? Que história é essa? Isso é tão surreal quanto os quadros de Salvador Dalí. Não existe câmera e nem sabonete nos banheiros públicos. Como você quer que a gente lave as mãos, Kafka?

-Marcel Duchamp, Pompa. Se você citou Salvador Dalí, eu vou de Duchamp. Conhece esse artista?

-Duchamp eu espero que seja algum novo chuveiro que nos limpe do Coronavírus, Kafka.

-Marcel Duchamp foi um pintor e escultor francês que morreu em 1968. Ele ficou conhecido pela obra A Fonte. Essa obra tinha como símbolo um mictório. O mictório é bem a cara das suas historinhas sanitárias, Pompa. Ou você lava as mãos, ou será processado.

-Como nem sempre podemos confiar que as medidas sugeridas pelos governantes serão levadas à sério, levarei meu álcool gel comigo. Passar bem, Kafka.

Pompa/2020

Ferreira Gullar comenta a obra A Fonte:




Todos direitos reservados 2020
POMPA -  Desenvolvido por: www.studiowebsite.com.br
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal