Tim & Pompa - Pompa - Crônicas Debochadas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Tim & Pompa

CONTOS

-Oi, Pompa. Porque você me chamou?

-Tudo bom, Tim Maia? Só vindo em um terreiro de Macumba e Candomblé para te encontrar, né?

-E ande logo antes que eu cante para subir, Pompa.

-Eu vim até aqui porque nós temos que atualizar um grande sucesso que você cantava. É a música Vale Tudo.

-Atualizar, Pompa? What porra is that?

-Nós vamos modernizá-la, Tim. Vamos deixá-la com a cara dos tempos atuais. Você vai voltar a fazer sucesso como nos velhos tempos.

-Mas que conversa é essa? Minhas músicas são clássicos eternos, Pompa. Eu não preciso dessa historinha de atualização.

-Só não vale dançar homem com homem e nem mulher com mulher. Lembra dessa letra, Tim?

-Eu só não lembraria se eu estivesse morto, Pompa.

-Acontece que os tempos são outros, Tim Maia. Hoje em dia homem dança com homem e mulher com mulher não é mais jacaré.

-Putz! Então estou mais por fora do que arco de barril, meu caro. O que eu devo fazer, Pompa?

-Acalme-se, Tim. Eu estou aqui para te ajudar. Veja como vai ficar a letra:

Então pode dançar homem com homem e também mulher com mulher.

-E o que vier!

Pompa/2016


 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal