Referências - Pompa - Crônicas Debochadas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Referências

CONTOS

- Alô?

- É o Pompa?

- Pompa ao seu dispor. Quem fala?

- Aqui é o Adamastor, Pompa. Eu sou o novo namorado da Denise.

- Que Denise, Adamastor?

- Sua ex-namorada. Eu estou ligando para pegar referências da moça.

- Referências? Você está me ligando para pegar referências de uma ex-namorada minha? Foi isso que eu entendi, Adamastor?

- É isso mesmo, Pompa. É que a praça está cheia de piriguetes e quase todas elas estão querendo dar o Golpe da Barriga, entende?

- Se você está preocupado com o Golpe da Barriga é melhor você desistir da Denise, Adamastor. Ela vivia aplicando esse golpe quando a gente namorava.

- Sério? A Denise aplicou o Golpe da Barriga em você?

- Seriíssimo, meu caro. Para você ter uma ideia, sempre que eu chamava a Denise para comer num restaurante, ela dizia que tinha perdido a carteira de dinheiro.

- Não entendi, Pompa. O que o sumiço da carteira da Denise tem a ver com o Golpe da Barriga?

- Era o Golpe da Barriga Vazia. O chamado 0800.

- Eita.

- Mais alguma pergunta?

- A Denise bebe, Pompa?

- É uma esponja.

- Ela fuma?

- É uma chaminé.

- Ronca?

- Se ela ronca? Foi isso o que você me perguntou, Adamastor?

- Foi isso mesmo, Pompa. Existe algum problema em perguntar se a Denise ronca?

- Não existe nenhum problema nisso. Fiquei até feliz com essa pergunta.

- Por que?

- Porque se você não sabe se ela ronca é sinal de que vocês ainda não dormiram juntos, Adamastor.

- Não mesmo.

- Pelo menos uma boa notícia.

Pompa/2016
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal