Quem Morre no Brasil Vira Santo - Pompa - Crônicas Debochadas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Quem Morre no Brasil Vira Santo

CONTOS

Fui a diversos enterros durante a minha vida. Eu já me despedi dos meus pais, de tios e tias, de amigos de infância e do trabalho, de irmãos e irmãs e até em funerais de inimigos eu acabei prestando condolências. Depois de toda essa vivência, ou mortência talvez, eu acabei percebendo que uma característica era igual em todos os funerais em que eu comparecia: a enorme capacidade que as pessoas possuem de tentar melhorar a biografia daqueles que estão partindo.

-“Quem morre no Brasil vira santo”.

Isso é o que um amigo meu sempre dizia naquelas horas. E eu acho que ele tinha razão. Eu mesmo comprovei dessa teoria quando faleci e os meus amigos e familiares fizeram afirmações duvidosas no meu velório:

-“O Pompa era um excelente aluno”, disse um professor que havia me reprovado no ensino médio.

-“Um trabalhador exemplar”, disse um primo que só me aceitava na sua empresa por pressões familiares.

-“Mais fiel do que a cachorra Lessie”, disse uma ex-namorada que me viu latindo em outras freguesias.

-“Um sujeito cuja única dívida foi ter nos deixado órfãos da sua presença”, disse meu advogado que estava penhorado um dos meus imóveis para pagar seus honorários.

Pompa/2018



Todos direitos reservados 2020
POMPA -  Desenvolvido por: www.studiowebsite.com.br
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal