Fardo - Pompa - Crônicas Debochadas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Fardo

CONTOS

Eu estava no supermercado com a Denise, quando lembrei que tínhamos que comprar um fardo de água com gás para um Réveillon. É incrível como uma simples ida às compras pode acabar num mal entendido.

No mercado

-Bom dia, amigo. Onde estão as águas com gás, por favor?
-Aqui tem algumas, senhor.
-Preciso de um fardo.
-Fardo? Então é melhor o senhor falar com o gerente. O nome dele é Waldir.
-Obrigado.

Na gerência

-Estou procurando o Waldir.
-Sou eu mesmo.
-Preciso de um fardo, Waldir. O rapaz dos líquidos falou para eu vir até aqui te procurar.
-Sente-se, por favor. Como é o seu nome?
-É Pompa.
-Épocas de fim de ano são boas para arrumar emprego, Pompa. Foi numa dessas que eu consegui entrar aqui no mercado.
-Emprego?
-O fardo vai depender da sua qualificação. Temos vagas no caixa, na limpeza, no estoque e até na área administrativa.


2015

 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal