Estado Civil - Pompa - Crônicas Debochadas

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Estado Civil

CONTOS
Quando eu me matriculei numa academia de ginástica, eu jamais pensei que eu fosse me atrapalhar para preencher um simples cadastro:
-Aqui está a caneta para o senhor fazer a ficha cadastral, disse a atendente.
-Obrigado, respondi.
Na ficha, havia perguntas como: nome, endereço, telefone e estado civil. Porém, foi justamente quando eu tive que responder o meu estado civil que me bateu uma indagação: divorciado é considerado um estado civil? Na dúvida, eu rasurei a palavra divorciado e pedi outra ficha para a atendente. E ao invés de preencher divorciado, eu escrevi solteiro na ficha. Porém, assim que eu terminei de escrever solteiro, eu lembrei que eu tinha uma namorada. Foi quando eu pedi uma ajuda para a moça da recepção:
-Eu não sei o que colocar no meu estado civil. Eu sou divorciado, mas tenho uma namorada. Preciso realmente responder a esse item?
-Senhor, todas as pessoas da academia que tem namorada ou namorado, preenchem o estado civil como solteiros. É bem simples. É simples até demais.
-Ter uma namorada não é uma coisa simples. É até complexo de certa forma.
-O senhor está precisando de psicólogo ou de academia?
-De academia
-Então escreva o que quiser na ficha ou deixe em branco. Para a academia, o que importa mesmo é o pagamento da mensalidade.
-Tudo bem.
Resolvi deixar meu estado civil em branco e fui malhar.
Porém, um ano depois da minha entrada na academia, eu fui chamado por um rapaz da informática que me disse que as fichas de papel dos cadastros estavam sendo digitalizadas e que o programa do computador não aceitava nenhum item em branco. Foi então que eu tive que preencher o meu estado civil:




Todos direitos reservados 2019
POMPA -  Desenvolvido por: www.studiowebsite.com.br
 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal